UM CURSO EM MILAGRES
04 DE DEZEMBRO DE 2002
4ª FEIRA

Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.
Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.
Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que
fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.
Eu estou contente em estar aonde quer que Ele deseje,

sabendo que Ele vai comigo.
Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele
me ensine a curar.

Princípio 13
Milagres são tanto princípios como fins, e assim alteram a ordem temporal. São sempre afirmações de renascimento, que parecem retroceder mas realmente avançam. Eles desfazem o passado no presente e assim liberam o futuro.

Jorge: A princípio nós temos todas as capacidades, todos os dons e todas as potencialidades, então, nós teríamos que ser prósperos, alegres e abundantes em tudo . Por quê não somos? Porque alguma coisa deu errada. Num outro Princípio diz ‘Milagres são expressões de renascimento’. O que é renascimento? É a oportunidade que você tem de começar outra vez, quando você nasce, você nasce zerado.

O que é que nos impede de ter prosperidade e abundância? Os erros que nós cometemos! Não vou colocar além do nosso próprio nascimento nesta existência, vou começar a partir deste ponto. Erros que cometemos a partir deste ponto em que, por pensamentos, palavras, atos ou omissões nós cometemos erros de interpretação de qualquer fato que tenha acontecido e a partir deste fato formamos um padrão de comportamento e a partir deste padrão de comportamento nós limitamos as nossas capacidades. Isto começa a partir daí. Eu tenho dito que, às vezes, nós acreditamos na nossa capacidade de ser feliz, baseado em padrões de comportamento que adquirimos em razão de ‘um dia eu estava muito feliz, quando criança, brincando, pulando, alguém veio e me disse: Olha, cuidado! Quando você canta muito na sexta, você chora no sábado. Quem é muito alegre no sábado, chora no domingo. Quem é feliz no domingo, chora na segunda’. Então é melhor não ser feliz, não cantar, não brincar, então vou ficar triste direto. Assim, vou bloqueando as minhas capacidades, meus dons, meus talentos.

Quando trabalhamos neste resgate no presente, porque o passado, como registro é imutável, o que aconteceu, aconteceu, você não tem como voltar lá no passado e alterar o que foi feito, mas você altera na tua mente o significado do acontecimento. Aí isto muda o teu presente e libera o teu futuro. Quando fazemos o retiro de renascimento estamos praticando isto, para aprender a fazer isto. É uma terapia que vem para ajudar este trabalho que estamos tentando desenvolver através da compreensão, como todos os trabalhos que o grupo produz, Reiki, Renascimento, Curso em Milagres, Yôga, tudo em função disto: liberar os nossos bloqueios.

Por exemplo, não me sinto bem em ir tomar um cafezinho ali na esquina. Por quê eu me sinto mal? Porque um dia eu fui ali e alguém derramou café na minha perna, registrei: ‘aqui é muito ruim, não venho mais aqui!’ Na outra pessoa que estava comigo, respingou café e ela registrou: ‘café é ruim, não vou tomar mais café!’ A pessoa parou de tomar café. Um mesmo acontecimento pode gerar diferentes padrões de comportamento . O fato aconteceu há tanto tempo que a pessoa não se lembra mais por que café é ruim, mas a pessoa não toma mais café, diz que não gosta de café, não lembra mais o porquê. Houve o registro e naquele momento a pessoa deu um significado aquilo ‘alguém derramou café na minha perna, eu não gostei, me fez mal o café!’. Vocês percebem como ficamos presos a padrões de comportamento do passado? Temos que desfazer este vinculo com o padrão do comportamento do passado para liberar o nosso futuro, assim amanhã já posso tomar café novamente, sem me sentir culpado, sem sentir que estou fazendo um coisa errada, sem pensar que vai me fazer mal. Tem pessoas que não dão certo no trabalho, no relacionamento, não dão certo em nada na vida. Às vezes por um acontecimento decidiram que era isso que acontecia. Quando a gente divulga o retiro de renascimento, temos colocado até uma referência a este Princípio do Curso em Milagres.

Por exemplo, quando nasce uma criança é muito comum que ela pense que a mãe não quer mais estar com ela, depois de estarem intensamente juntos durante noves meses, a minha mãe agora decidiu que não me quer mais, ela me abandonou, ela não quer mais saber de mim. A pessoa registra abandono. Uma vez que você registrou ‘abandono’, você vai se comportar, mediante o seu registro do passado, o resto da sua existência.

O que vai acontecer? Tem pessoas que tem dificuldades para concluir tarefas no seu trabalho. Você dá uma tarefa para ela fazer, ela enrola, enrola ...e não finaliza. Por quê? Porque ela tem um registro anterior, o registro já não é mais consciente para ela, mas o padrão de comportamento é, quando finalizo uma tarefa provavelmente agora vão dizer: ‘Agora sai fora! Vou ser mandado embora, como a minha mãe fez quando eu nasci’. Então ela teve, aos poucos, que andar sozinha, se alimentar sozinha, trabalhar sozinha, prover o seu próprio sustento, seria muito melhor estar na barriguinha da minha mãe. Às vezes a pessoa faz isto nos relacionamentos, não consegue dar certo no relacionamento ela sempre está com medo que a pessoa vá abandoná-la. ‘Ah meu amor, você nunca vai me abandonar, não é?!’ Começa a pressionar a outra pessoa, ela está provocando que aconteça aquilo que mais ela tem medo, que é o abandono. As pessoas acabam abandonando, porque ela expressa aquilo inconscientemente a idéia de abandono. É este tipo de padrão que temos que dissolver para que possamos ser felizes, para que possamos começar uma tarefa e concluí-la, para que possamos ser livres aqui neste plano, é assim que temos que passar por aqui, com liberdade absoluta. Isto é que é liberar o futuro, estarmos totalmente livres para o que vai acontecer amanhã.

Se amanhã alguém chega e diz, ‘Jorge, vamos para as ilhas gregas passar uma semana lá’, aí eu digo ‘ah...não dá, porque não fiz a tarefa de anteontem , não fiz a tarefa de ontem, não posso ir desta vez’. O ideal é que a gente esteja livre a este ponto, todo dia uma tarefa concluída, é assim que a gente deveria aprender , não deixar, como se diz popularmente ‘rabo preso’. Por quê? Porque aquilo vai me impedir de continuar livre para frente , considerando que o futuro é a frente, não consigo prosperar e ir para frente se estou preso em alguma coisa do passado. Quando fico preso a qualquer situação do passado, é como se eu prendesse meu pé com uma borracha, a uma estaca fincada no chão. Começo a caminhar, no começo eu não sinto aquilo ‘...ah isso não é nada...isso eu tiro de letra’, ...vou caminhando e cada vez parece que as coisas vão ficando mais difíceis.

Por quê eu vou até um ponto, daí parece que tudo desmorona e eu acabo caindo de volta no ponto de partida? É o efeito elástico! É como eu chamo isto. Você está preso a alguma coisa do passado e não se dá conta. No primeiro momento o elástico cede , você não vai sentir que está preso a um elástico, daqui a um pouco as tarefas vão ficando difíceis.. difíceis, quando está chegando lá, a pressão do elástico puxa você de volta e não consegue ir para frente, não consegue liberar um passo a frente no seu futuro

Por isso é preciso desfazer as coisas do passado, onde a gente está preso, resignificar tudo isto. Se aconteceu, por exemplo, no meu nascimento de eu dar significado ‘minha mãe está me abandonando’, então registrei abandono. Hoje com a inteligência que tenho, com o intelecto que desenvolvi, eu sei que isto foi um conceito equivocado. Mas só vou conseguir descobrir que fiz um conceito equivocado, se eu vou voltar lá trás e me der conta que tem uma coisa errada. Na minha formação católica aprendi que todo o dia, antes de dormir, a gente deveria fazer um exame de consciência para ver se não ficou nada errado, nada pendente. O ideal que fizéssemos isso todos os dias. Se eu tivesse feito isto, visto cada dia da minha vida, se não formei um padrão de comportamento que vai me bloquear para ser feliz daqui para frente, hoje estaria não estaria preso a nada o passado.

Todos os dias têm probabilidade de acontecerem situações adversas, se situações adversas à nossa vontade são inevitáveis, então temos que tomar cuidado daqui para frente, ver como nós registramos isto, para que não se torne um bloqueio, um empecilho, um obstáculo para a o nosso futuro. Por isto temos que cuidar muito para estar presente.

Participante: Eu tenho muito medo de baratas, só pelo fato de eu dizer o nome .... Como se explica isto?

Jorge: A idéia é que você vai descobrir por que você tem este bloqueio, este trauma, não há como alguém dizer para você , porque só você pode olhar para você mesma e descobrir com segurança e desfazer isto. Alguma coisa pode ter acontecido e você registrou de uma maneira, no seu passado, determinada situação que foi traumática para você que causou todo este medo. Bloqueia, não consegue ir além daquilo, paralisa. Algum fato gerou este padrão de comportamento. Peça um milagre!

Participante: Poderia ser recomendado a regressão para descobrir a origem do trauma?

Jorge: Não acho muito confiáveis as regressões induzidas. Assim como você vai induzir a pessoa a chegar a um ponto, você pode induzí-la a criar uma resposta que não é real. Mascarar não é desfazer, depois explode em outro ponto, daí você não vai conseguir descobri de onde veio a coisa. Acho melhor deixar assim, você sabe o que é que te causa medo, ao invés de mascarar esta situação e ela explode num outro ponto e sobre aquele outro ponto você não tem controle. Como uma mangueira cheia de furos, se você tapar um furo a água sai no outro. Hoje você sabe que aquele inseto causa para você. Vamos supor que você põe um tampão ali, então não tenho mais medo daquele inseto, mas quando aparece o inseto ele causa uma outra reação e dificilmente a pessoa vai descobrir o que é .

O que diz neste Princípio é que tem que dissolver. Traz o passado para o presente, dissolve e assim, libera o futuro. Trabalhamos nesta linha com as terapias aqui.

Participante: Não poderá acontecer que esta situação cresça cada vez mais e fique totalmente fora de controle?

Jorge: Esta situação está criada na mente . A mente não vai criar uma coisa maior do que você , por isso o ditado: ‘Deus nunca dá o frio maior do que o cobertor’. Isto na verdade não tem a ver com Deus, tem a ver com o quê nós criamos na nossa mente. A nossa mente cria artifícios para nos bloquear, sob o nosso comando, podemos criar alguma coisa, mas não algo que não podemos suportar, só criamos o suportável para nós mesmos.

Milagres são sempre afirmações de renascimento. Quando você desfaz alguma coisa do passado, desfaz na tua mente . Se ontem você colocou uma pedra no caminho, você pode retirar hoje, mas voltar ontem e retirar não posso. Então, posso desfazer na minha mente aquele equívoco, aquela afirmação, conceito, aquela programação resultante de ter colocado aquela pedra, mas retirar a pedra ontem eu não posso. Tenho que retirar, limpar na minha mente aquilo que cometi no passado por pensamentos, palavras, ato ou omissões, é como nós fazemos as coisas acontecerem , não existe outro meio diferente deste de fazer acontecer alguma coisa, com isso podemos fazer coisas produtivas ou não. Os meios que temos são só estes quatro.

Para poder liberar o nosso futuro, temos que resolver isto AGORA. Temos que tomar a decisão ‘agora eu vou parar, vou resolver tudo o que tem daqui para traz’, porque só assim eu posso prosperar , senão eu não consigo, não vai.

Vejam por exemplo quantas pessoas têm sucesso profissional. Das pessoas que são psicólogos, quantas conseguem chegar ao sucesso de ter realização profissional? Quantos advogados conseguem ter sucesso e realização profissional? Quantos políticos conseguem ter sucesso profissional? O que faz a diferença ? Porque uma pessoa tem e outros não? Quando você vê, por exemplo, a questão política, me chamou atenção, citei por acaso, mas é interessante, tivemos uma pessoa que se candidatou a presidente. Porque não conseguiu, quebraram a expectativa dela logo no início, com o quê? Com o passado! Tinha coisas presas no passado. É ali que vamos buscar as coisas erradas. Uma pessoa que não tem nada errado no passado, ninguém poderá contestá-la, ela tem o futuro aberto a sua frente, esta pessoa prospera com facilidade, profissionalmente, em tudo. Isto vale para qualquer situação. Para relacionamentos, para profissão, para tudo.

Alguém poderá pensar ‘ah, se tive um problema profissional no passado, eu só vou ter bloqueios profissionais, então?’ Não é assim, isto generaliza!

Uma pessoa que tem algum problema profissional no passado, está pendente lá porque fez uma coisa errada, ela não dá mais certo com nada, não acerta mais nada. Não vai se desenvolver, não vai ter a realização que ela almejou nem profissional, nem de relacionamento, nem vocacional, nem coisa alguma. A pessoa fica presa no passado.

Participante: Quais são as terapias recomendadas para nos ajudar nisto?

Jorge: O Curso em Milagres nos dá a compreensão, é uma das melhores terapias que conheço. Vamos trabalhando um pequeno parágrafo, com três ou quatro frases e vai nos trazendo a compreensão de tudo isto, estamos trabalhando isto em grupo e cada um está trabalhando individualmente a ter a compreensão. Mesmo que não se manifeste a pessoa está vendo se aquilo tem alguma coisa a ver consigo mesma. Todo este trabalho que propomos aqui no grupo é em função disto. O Renascimento eu acho ótimo, são trabalhos integrados e complementares, Reiki, Yoga. Todo propósito é trabalhar nesta direção, para liberar a mente.

Participante: O que significa ‘Milagres são tanto princípios como fins, e assim alteram a ordem temporal’?

Jorge: O milagre vai do princípio até o fim. Por isso ele pode agir lá no princípio e no fim também. No princípio, vamos colocar por exemplo, na hora do nascimento, o fim é onde estou agora . Age na causa que é o princípio, pode ser assim também. O princípio seria o primeiro erro e o fim o último erro . Altera a ordem temporal porque, nós dentro do tempo só conseguimos trabalhar no momento onde estamos. Não podemos ir lá no princípio e ir até o fim, só neste exato momento, agora, não posso fazer nada amanhã, só posso fazer agora. O milagre não, ele vai do princípio até o fim. Por isso que ele muda o sentido do passado, porque altera o significado do passado e libera o futuro.

O milagre trabalha desde a causa até a conseqüência, ele trabalha neste espaço. Dentro do tempo não há como trabalhar isto, o milagre pode voltar lá no ontem e retirar aquele tijolo, neste sentido, porque ele vai do princípio até o fim, não temos como fazer isto, a não ser usando os milagres como instrumento. Por isto ele altera a ordem temporal das coisas. Dentro da ordem temporal eu posso, por exemplo: Deixei minha bicicleta lá na rua e a roubaram, quero voltar lá e guardar a bicicleta em outro lugar, não tem mais como fazer isto. O que o milagre pode fazer por mim? Pode fazer com que o ladrão esqueça a bicicleta no mesmo lugar. O ladrão está andando de bicicleta e de repente ele vê uma coisa mais interessante e deixa a bicicleta e amanhã passo lá e a bicicleta está lá .

Livro Texto
Página 12

Capítulo 1- O SIGNIFICADO DOS MILAGRES
IV. Como escapar da escuridão
4.
O vazio engendrado pelo medo tem que ser substituído pelo perdão. É isso o que Bíblia quer dizer com: “Não existe morte” e é por isso que eu pude demonstrar que a morte não existe. Eu vim para cumprir a lei , reinterpretando-a. A lei em si mesma, se compreendida de modo adequado, só oferece proteção. Foram aqueles que ainda não mudaram as suas mentes que trouxeram para ela o conceito do “fogo do inferno”. Eu te asseguro que darei testemunho de qualquer um que me permitir e em qualquer medida que ele me permitir. O teu testemunho demonstra a tua crença e assim a fortalece. Aqueles que testemunham por mim estão expressando através dos seus milagres que abandonaram a crença na privação em favor da abundância que, como aprenderam, a eles pertence.

Participante: Temos medo da morte, porque achamos que morrendo vamos para o inferno. Perdemos o corpo e vamos para o inferno.

Jorge: O mais interessante de tudo: O caminho para dissolver o medo é o perdão.

Vamos fazer este exercício esta semana: Vamos dar o Perdão.

Exercício da Semana:

Vamos rever, em nós mesmos, todas as questões para perdoar a nós mesmos, perdoar o passado. Perdoar é transformar perdas em doações, dar as perdas, dar o perdão. Se perdemos alguma coisa no passado, transforma o sentimento de ‘foi perdido’ em ‘foi doado’, dá isso, não importa para quem, simplesmente transforma em doação, este é o caminho da liberação da liberação do medo.

Tudo que você julga que foi perdido, por exemplo, tempo perdido, oportunidades perdidas ou qualquer coisa. O que foi perdido, perdido está! São perdas, não é? Perdas são sempre grandes. Quem perdeu uma agulha e está procurando, a pessoa não acha que perdeu uma coisa pequena, aquilo era muito importante para ela, se não fosse não estaria procurando. É uma grande perda, é um perdão! Então, dá aquilo que foi perdido, não tem como recuperar, trabalha no sentido de dar aquilo que está perdido.

Perdi uma agulha no palheiro, e não estou achando, então, transformo o sentimento de perda em doação ‘palheiro, a agulha é tua, não me pertence mais!’ Não vou mais procurar a agulha, não vou mais me preocupar. Este é o sentido de liberar. Porque quando você dá aquilo, entrega, você libera dentro de você, daí você perde o medo, essa é a melhor de todas as perdas. Para perder o medo, trabalhar com as perdas, dá as perdas, dar o perdão, daí a gente perde o medo.

Todos os nossos medos estão relacionados a coisas que estão perdidas lá no passado, mas nós ainda estamos presos à elas. O medo do inferno é um dos nossos maiores medos. Teve uma novela que passou na televisão recentemente onde falavam ‘vai arder no mármore do inferno’.

Então, o exercício da semana é substituir o vazio engendrado pelo medo, com o perdão. Lembrem-se de fazer isto toda a vez que tiverem oportunidade. Se vocês se propuserem a isto, tenho a convicção que terão muitas oportunidades de perdão nesta semana . Doar aquilo que já está perdido no passado, as oportunidades vão surgir diante de vocês. Perdoar aquilo que você fez, aquilo que você não fez . Podemos ter perdas por pensamentos, porque pensei uma coisa e não queria ter pensado ou pensei equivocadamente; por palavras, eu disse uma coisa que não queria, deixei de dizer aquilo que queria, eu disse sim quando eu queria dizer não, disse não quando queria dizer sim; atos, fiz uma coisas que não gostei de fazer, gostaria de ter feito uma coisa e não fiz, que é omissão. Com estes quatro aspectos vamos fazer uma avaliação esta semana, não precisam se esforçar para isto, basta querer dar o perdão, que todas as oportunidades vão aparecer para perdoar e para pedirmos perdão .

A crença na privação surge a partir do medo. O medo surge a partir do momento que fizemos alguma coisa errada. Quem diz o que é errado não é Deus, somos nós. Nós é que nos julgamos e nos condenamos ao ‘fogo do inferno’. As mentes não liberadas é que criaram a idéia do ‘fogo do inferno’. Nós não temos que ir para o inferno. Não caiam na bobeira de ir para o inferno, nunca mais, vocês não precisam ir para o inferno. Se você um dia morrer e se der conta que está no inferno, começa a abraçar todo mundo, você não precisa estar lá, começa a pedir perdão, ‘me perdoa, pisei nos teus pés!’, o perdão substitui o vazio e o medo. Perdão!Perdão!Perdão!

Inferno é uma criação da mente daqueles que não conseguiram se liberar do medo. Então, o trabalho que temos que fazer é nos liberar do medo. Aquilo que você atesta, atesta a tua crença. Se você pregar o medo para as outras pessoas, isto é um atestado de que você tem o medo. Aquilo eu fazes, através de pensamentos, palavras, atos ou omissões, atesta a tua crença, dão testemunho da tua crença. Se uma pessoa faz uma coisa errada, vem alguém e diz

‘você vai arder no fogo do inferno’. Quem é que está acreditando no inferno? Aquele que por palavras, pensamentos, ou ações atestou aquela crença, passou a acreditar mais no inferno do que no céu.

Temos que mudar a nossa crença, essas crenças estão muito enraizadas. Nosso maior medo é ir para o inferno. Se tirar o medo do inferno, o medo da morte deixa de existir. Se a gente sabe que para o inferno não vai, então não precisa ter medo. Tem uma historinha que diz assim: Age sempre sem medo de nada, sempre abrace as pessoas, escuta o que elas têm a dizer, porque se você agir assim, quando você morrer, mesmo que você foi parar por engano no inferno o diabo vai se encarregar, pessoalmente, para te levar para o céu e dirá: ‘esse cara está estragando o ambiente lá do inferno, está tratando bem todas pessoas, está estragando todo o princípio do inferno’.

Participante: O medo da morte para mim tem a ver com a perda da convivência de pessoas que me são queridas. Por melhor que seja lá no céu, terei perdido o carinho o amor das pessoas que deixei aqui.

Jorge: Se você for sozinho e não vive o paraíso, vamos colocar neste nível, aquela coisa linda maravilhosa, não está vivendo aquele momento porque aquelas pessoas que você ama não estão contigo. Então você deixa de estar no céu, porque você acha que as pessoas queridas ficaram aqui. As pessoas queridas que ficaram aqui dizem ‘ele deve estar no céu, tomara que aproveite bem’, estão fazendo a maior torcida para você aproveitar. Você não aproveita porque acha ... As pessoas que ficaram aproveitam mais a tua ida para o céu do que você que está lá e não aproveita.

Tem um outro aspecto interessante , se acontece o contrário. Você vai para o céu quando morre e as pessoas ficam aqui sofrendo, porque acham que você foi para o inferno.

Uma história:

Uma vez aconteceu assim: Veio uma mulher, que era amiga minha, me contar, me noticiar que seu filho amado tinha morrido num acidente. Ela estava inconsolável. Era um rapaz jovem . Pedi a ela que me falasse a respeito dele e ela me falou. Disse que ele era uma pessoa que não tinha inimigos, ela não sabia de uma só pessoa que dissesse ‘eu não gostava do João’.

Todos gostavam do João, ele era carinhoso com todas as pessoas. Ela foi me dizendo todas as qualidades dele. A mãe, é claro, provavelmente não vê defeitos, isto é uma grande qualidade da mãe, vê só a perfeição no filho. Ela exaltou todas as qualidades. Eu disse a ela, se o seu filho tinha tantas qualidades, independente de prováveis defeitos que você não falou, mas mesmo que os tivesse, todas estas qualidades que você exaltou, colocadas na balança, as qualidades seriam predominantes. Estas qualidades com certeza vão colocar o seu filho no caminho do céu. E ela disse, eu acredito que ele está no caminho do céu. Eu disse a ela, exaltadas as qualificações todas que você exaltou, eu também acredito que o seu filho esteja a caminho do céu, talvez já esteja lá.

O filho é parte da mãe e do pai, assim como é a extensão do pai e da mãe . A mãe e o pai são parte do filho, juntando as partes elas se compõe. Temos a impressão que elas estão separadas, mas de fato não estão. O pai não está separado do filho, nem a mãe, porque a ligação que existe é muito forte . Se você começasse a olhar isto de uma outra maneira, ao invés de você ficar inconsolável, porque ele não está contigo, você olhasse e dissesse ‘parte de mim já está a caminho do céu, parte de mim já está no céu’. Diante desta compreensão ela mudou o significado da morte, ela resignificou aquele fato que era tão doloroso. Ela me disse, Jorge, está doendo, sinto a ausência, mas da maneira como você me mostrou eu estou vendo que de fato ele está a caminho do céu.

Nós estudamos hoje que o inferno não existe, então cada pessoa que vai, já está mais perto do céu do que eu. Temos que começar a mudar o significado, assim como a criança que no nascimento registrou abandono, na morte nós podemos registrar abandono também. Podemos ficar presos ao significado equivocado. A família pode se sentir abandonada porque você foi sozinho e você pode se sentir abandonado porque a família não foi junto, os dois ficam presos a um registro equivocado. Se nós reavaliarmos isto, resignificarmos este mesmo fato, cada um pode registrar diferente, então nós também podemos, não é mesmo?

Podemos começar a dar um significado diferente para a morte a partir de agora. No momento que isto vai acontecer e um dia vai acontecer, nós já estaremos preparados, para não darmos um significado equivocado para isto. Uma vez que aconteceu, é como aquele exercício que fizemos na semana passada, (reunião de 27/11/2002), se eu tenho que fazer aquele trabalho, eu posso dar o significado, posso achar que é ruim, ou já que eu tenho que fazer, então vou fazer com amor. A morte é a mesma coisa, já que aconteceu, então eu vou olhar isso com olhar amoroso , eu não abandonei a minha família e nem a minha família me abandou, apenas eu estou indo para o céu primeiro.

A gente dá o significado para as coisas de acordo com a nossa percepção, de acordo com o nosso entender. A verdade é só uma, a percepção que cada um tem da verdade é que é diferente. A melhor propaganda do ego é o diferente. Veja na televisão, por exemplo, para tudo que você quer vender, você põe uma coisa diferente, é a reprodução do nosso ego, reproduzir o diferente, é isto que nós fazemos.

Quanto menos diferenças nós tivermos, mais amorosos estaremos. O que coloca as diferenças não é o amor, porque no amor somo todos iguais, são as diversificações do nosso ego.

Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.
Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.
Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que
fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.
Eu estou contente em estar aonde quer que Ele deseje,

sabendo que Ele vai comigo.
Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele
me ensine a curar.

 

©  2004 - Milagres