UM CURSO EM MILAGRES
06 DE DEZEMBRO DE 2004
2ª FEIRA

Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.
Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.
Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que
fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.
Eu estou contente em estar aonde quer que Ele deseje,

sabendo que Ele vai comigo.
Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele
me ensine a curar.

PRINCÍPIO 9
Milagres são uma espécie de troca. Como todas as expressões de amor, que são sempre miraculosas no sentido verdadeiro, a troca reverte as leis físicas. Trazem mais amor tanto para o doador quanto para aquele que recebe.

Jorge: Isso funciona assim: Imaginem uma vela acesa e uma vela apagada. Temporariamente a vela acesa tem mais luz que a vela apagada. Se a vela que está acesa estender a luz até a vela apagada, esta se acenderá e terá a sua também. O resultado é que ambas terão mais luz, porque duas iluminam mais do que uma. Aquela vela que deu a luz, terá mais luz também. Experimente acender uma vela, num ambiente escuro, acenda uma vela e acenda uma segunda vela, apague uma das velas, junte as duas , duas velas sempre gerarão mais luz do que uma só, em qualquer circunstância. Por esta razão é recomendado que se faça grupos para a realização do Curso em Milagres. Porque , assim, cada um traz a sua luz, embora ainda tênue, ajuda a esclarecer , a clarear a explicação, a interpretação que nós fazemos da leitura do livro. Então, quanto mais velas, mais luz. Uma vela sozinha consegue um pouco de luz, se juntarmos dez velas a iluminação vai ser mais do que a soma individual de cada vela. Por isso dá para a gente entender que a soma do todo é maior que a soma das partes. A luz é maior do que dez velas em separado.

Página 39
Capítulo 3 – A PERCEPÇÃO INOCENTE
I. Expiação sem sacrifício
5.
Referiram-se corretamente a mim como “o cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo”, mas aqueles que representam o cordeiro manchado de sangue não compreendem o significado do símbolo. Corretamente compreendido, é um símbolo muito simples que fala da minha inocência. O leão e o cordeiro deitados lado a lado simbolizam que a força e a inocência não estão em conflito, mas naturalmente vivem em paz. Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus” é outra maneira de dizer a mesma coisa. Uma mente pura conhece a verdade e essa é a sua força. Ela não confunde destruição com inocência porque associa inocência com força, não com fraqueza.

Jorge: A melhor defesa é não atacar. Toda vez que nós queremos nos defender atacando, nós geramos uma força com uma reação contrária que vem em nossa direção, vem com a mesma força que nós jogamos o ataque, no mínimo. Dizia Einstein que, se você jogar uma bola azul na parede, ela vai voltar com a mesma velocidade e da mesma cor que você jogou.

O leão e o cordeiro podem conviver pacificamente porque o cordeiro não representa perigo para o leão, no momento que o cordeiro perceber no leão uma ameaça, ele vai atacar o leão, por mais pacífico que ele seja. O leão para se defender vai atacar, o leão é capaz de atacar qualquer coisa que represente perigo para ele. Então, a inocência e a força podem conviver pacificamente se a inocência não representar perigo para a força. Por esta razão, quando a religião se opõe ao poder, ela representa perigo para o poder, gera conflito, aí acontecem as confusões.

Sempre que você oferecer perigo para alguém, você corre perigo de ser atacado.

Quanto à questão do “Referiram-se corretamente a mim como ‘o cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo’ ”, já trabalhamos aqui no grupo este tema, é aquela história da compreensão equivocada do sacrifício. Por isso ele diz também, ‘aqueles que estão vendo o cordeiro manchado de sangue não conseguiram entender o símbolo’.

O que significa ‘eu sou o cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo?’ Eu me ofereço em sacrifício por vós. As pessoas ainda não entenderam, elas estão vendo o cordeiro manchado de sangue, estão vendo o sacrifício, estão vendo o crucifício, estão vendo o sofrimento, estão vendo a dor, estão sentindo-se culpadas e com medo do castigo. Porque toda culpa gera medo do castigo. Uma compreensão correta, que nós já trabalhamos, é esta.

O cordeiro nunca se opôs à força . Quando Jesus foi convocado por Pilatos, Ele disse: ‘Este homem não representa perigo algum para mim’. Quando Pilatos perguntou ‘tu és o filho de Deus?’ Ele respondeu ‘ tu que estás dizendo, você pode entender como você quiser, você é que está fazendo o julgamento, eu não’. Jesus não julgava. Ele não representava perigo. Então, para quem Jesus representou perigo? Ele representava perigo para as pessoas que tinham medo. Medo da transformação interior, aqueles que não compreenderam o que Ele estava dizendo e se assustaram muito. Somente agora estamos compreendendo o que Ele dizia.

Participante: O que significa Nova Era?

Jorge: Nova Era não é uma instituição, é um evento. A Nova Era, que é chamada também de Era de Aquários, que sucede à Era de Peixes é justamente para termos a compreensão e pararmos de olhar o peixe. Quando você olha o peixe, você olha os peixes em separado, tem o maior, tem o menor, tem o amarelo, tem o azul... Agora não vamos mais olhar o peixe, vamos olhar o aquário como um todo. O aquário é o planeta água em que nós vivemos, onde todos nós estamos inseridos.

A globalização, até agora poucos conseguiram captar porque está acontecendo esta globalização. Muitas pessoas não gostam que se mexa naquilo que está quieto, está estabelecido, está bom assim como está. Num outro encontro já falamos sobre as questões que levam as pessoas a ter medo das mudanças. Para que nós possamos aprender a ver o aquário e não só o peixe. Estamos todos inseridos na Era de Aquário. Vamos começar a ver as pessoas de modo global. Cada vez mais nós percebemos o que acontece lá no Casaquistão afeta os que aqui estão, também. O que acontece no Afeganistão, também afeta nós todos que aqui estamos. Estamos começando a perceber que aquela gente que está lá do outro lado do mundo, não é separado de nós, eles estão sob as mesmas condições de vida que nós estamos. Aos poucos nós vamos compreender a idéia de unidade, ao tempo que nós chegaremos, como consta das Escrituras, que haverá um só rebanho e um só pastor. Vai acabar com as diferenças na humanidade, vai acabar com as discriminações religiosas também, não há mais lugar para separações. Cada vez mais as pessoas estão compreendendo no nível da mente que estão mais unidas.

Então, assim como Jesus começou esse trabalho, há dois mil anos, agora está acontecendo a segunda etapa do trabalho. Não é que Jesus só pertenceu à Era de Peixes. Jesus não é de Era nenhuma, Ele é eterno, representa o Cristo, o Espírito Eterno, não tem começo nem fim, é o Alfa e Omega. Nenhum de nós pertence a uma Era, todos pertencemos à eternidade. Não tem isto de um ser de uma Era e aquele de outra . Apenas nós vivemos etapas ou eras que vão lapidando a nossa compreensão para tudo isto que estamos conseguindo alcançar agora. Todo mundo está conseguindo alcançar uma compreensão mais apurada. Se o Curso em Milagres tivesse surgido em 1800, teria sido engavetado, ninguém iria ler, ninguém iria compreender . Na própria Introdução do livro diz que, se não tivesse havido Freud para dizer para nós o que é o ‘ego’, ninguém iria entender isso, ninguém iria entender nada do que hoje falamos sobre ego.

Quanto tempo foi necessário para que a humanidade assimilasse a compreensão do que é o ego. Cada pessoa que vem, soma, insere um pouquinho, aos poucos conseguimos assimilar para que no final ter um contexto e assimilando e treinando a mente para compreender cada vez mais, é um passo a passo. É como uma escola. Não adianta dar um livro de medicina para quem está iniciando o primeiro ano escolar. Pode até ler, porque já sabe ler. Você dá um livro de medicina para uma criança e depois você se deita lá na sala de cirurgia e deixa a criança operar você?

Participante: Parece que hoje a informação está mais disponível.

Jorge: Na época de Jesus as Escrituras já estavam, mas ninguém compreendia. O Curso em Milagres está ai. Quem é que compreende? Quem é que consegue interpretar o que está escrito aí? Quantas pessoas já compraram este livro e o deixam numa prateleira em casa, porque começaram a ler e não entenderam o que estava escrito. Então, mesmo que tenha o livro, mesmo que as escrituras estejam aí, são poucos que conseguem interpretar e compreender de maneira correta o que está escrito. Mesmo a faculdade, bastava você fazer um livro. Ensina a pessoa a ler e escrever e para o resto, dá um livro para a pessoa . Depois que leu o livro, faz uma prova e então um passa na prova para medicina, outro engenharia... Com os recursos tecnológicos que nós temos para mostrar imagens, sons, você pode gravar todo currículo, desde o primeiro ano escolar até o doutorado. Dá para a pessoa ler e fazer a prova. Vê se ele compreendeu aquilo ou não, vê se ela passou ou não. Deixa que cada pessoa faça a faculdade na medida da sua compreensão. Tem gente com 15 anos já está formada, outros chegam aos 60 e não entendem nada. Por isso na última prova da OAB, dos 20.000 mil inscritos, passaram menos de 10%. As pessoas , lêem, lêem, decoram passam nas provas e não entenderam nada. Entram no mercado de trabalho e não sabem nada. Assim acontece com tudo, as Escrituras estão aí, o Curso em Milagres está aí. A interpretação, desenvolver a capacidade de interpretar o que está lendo, isto eu tenho dito aqui, ler é muito fácil, interpretar aquilo que está lendo, as pessoas não conseguem. No livro diz, que as pessoas lêem e interpretam o símbolo de maneira equivocada. Os símbolos são as Escrituras, o que está escrito, as letras são símbolos, tudo é simbólico. Lêem aquilo que está escrito e interpretam equivocadamente e passam a acreditar que é daquele jeito, que ele sabe ler e porque ele leu, e ainda diz: Estava assim escrito num livro.

Algumas vezes, quando eu disse algo lá na livraria, as pessoas perguntaram:

-Isso que você está dizendo, em que livro está escrito isto?

-Por que você me pergunta?

-Para saber se dou credibilidade ou não, porque eu quero ir lá no livro e conferir e ver se você está dizendo uma coisa certa.

-Ora, se você quiser eu mesmo escrevo um livro, daí você vai acreditar? Estando escrito e encadernado é passível de credibilidade?

-É, mas eu li num outro livro e não compreendi do jeito que você está falando.

As pessoas não aprenderam a interpretar e compreender . É justamente o que está dizendo aqui neste parágrafo. Nós compreendemos de maneira muito equivocada. “Eu sou o cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo” é lindo , é só Amor que se percebe aí, quando se consegue interpretar acertadamente. Jesus disse:

-Mas o que precisa fazer para que vocês aceitem e compreendem, que vocês já podem ir para o céu?

-Ah! Um grande sacrifício!

-O que vocês estão acostumados a sacrificar, cordeiros?

- Eu sou o cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo! Eu me ofereço em sacrifício por vós para remissão dos vossos pecados!

Participante: Nosso mal é não pensar ..., aqui temos o hábito de copiar e seguir o que vem de fora.

Jorge: Temos que compreender que chega de dizer, nós os brasileiros, que ‘isso é coisa de brasileiro, que brasileiro não isso e aquilo...’. Em que país você acha que as pessoas estão se iluminando em massa? Nenhum!

Participante: Na Índia, quem sabe?

Jorge: Lá eles também entenderam equivocadamente a Escritura. Lá eles estão optando pelo espírito e radicalizaram. Acham que só devem cuidar do espírito e que não precisam cuidar da matéria e do intelecto. Isso não dá certo, nós já trabalhamos este tema aqui. Estamos entendendo hoje, globalmente, que tem que ter desenvolvimento nos três níveis: Espírito; Mente e Matéria. Há quanto tempo está escrito “Mens sana in corpore sano”, ninguém entendeu o que quer dizer isto. “Mens sana” foi o nome de muitas academias.

Hoje compreendemos que “Mens sana in corpore sano”, significa santificar, curar a mente , que a mente curada curará o corpo . Pela compreensão que tiveram, todos tentaram curar o corpo e não a mente.

Participante: Nas nossas relações com as pessoas no dia-a-dia, às vezes, despertamos medo nas pessoas. Jesus nos deu um exemplo, nos deu uma nova percepção, mas despertou ódio. Não foi só Ele, outros... Buda era diferente, porque naquela época, a realidade era outra, não se envolvia.

Jorge: A situação não era outra. É a mesma de hoje. Veja assim: Aquele clérico lá do Iraque que se rebelou contra os Estados Unidos, ele se opôs ao poder e recebeu força contaria. Mas Jesus nunca se opôs ao poder , esta é que é a diferença. Buda nunca se opôs ao poder, ninguém matou Buda. A história que eu ouvi falar de Buda que ele deu o seu corpo, se ofereceu em sacrifício para uma leoa faminta que precisava alimentar os seus filhotes.O corpo para ele não tinha mais utilidade.

Participante: A versão que eu tenho é que ele morreu com 82 anos, teria reunido os discípulos e dito: está na hora da minha partida e foi.

Jorge: O que Jesus fez, se a história é condizente, foi a mesma coisa. Porque Jesus não disse, na hora em que estava lá na cruz: ‘Eu sou o cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo, me ofereço em sacrifício por vós!’ Ele disse antes, aí é que começou o processo. Disse para o Judas ‘agora você vá lá e me venda para os romanos, para que se cumpra o que eu vim fazer aqui!’ As pessoas não acreditavam que podiam ir para o céu. Judas disse: ‘mas por que eu?’ Jesus respondeu: ‘Vá, porque só você pode fazê-lo!’ Pedro se levantou e disse: Como assim, só ele pode fazer, acaso achas que não sou capaz de fazer uma coisa que meu mestre me pede. O Mestre olhou para ele e disse: ‘você não seria capaz, ainda hoje antes do galo cantar você vai me negar três vezes!” Então, Ele Já sabia. Porque a pessoa que está num nível duma dimensão mais elevada, ela sabe tudo o que está acontecendo. A pessoa percebe em todos os níveis, daí ela pode ter uma reação ou ficar na inocência.

Quando deu aquela confusão lá no Iraque, procuravam supostas bombas, armas químicas escondidas e por causa disto morreram milhares de pessoas. O Papa pela primeira vez se manifestou e disse : ‘vocês sabem o que estão fazendo, serão responsabilizados perante as consciências de vocês, perante a humanidade, perante Deus pelo genocídio que vocês estão prestes a cometer’. Ele sabia tudo. Com isto ele disse que estavam dizendo mentiras. É possível até que tenha se arrependido depois de ter dito mesmo que tenha sido só isto, porque, de certa forma, ele se opôs. O Espírito Santo não se opõe a nada, Deus não se opõe a nada, isto está escrito no livro.

Já me perguntaram várias vezes: ‘Onde está este Deus que deixa que estas guerras, as misérias aconteçam?’ Uma das vezes foi numa entrevista na televisão, quando eu falei que Deus é Amor.

Um dos participantes disse : ‘Esse Deus que é amor não existe, porque se existisse não teríamos estas guerras estas misérias.

Outro dia me mandaram uma historinha pela internet que responde a estas perguntas.

Uma história:

Uma pessoa estava falando de Deus para o barbeiro, enquanto cortava o cabelo.

O barbeiro disse: Pára com isso, isso é bobagem, Deus não existe! Amor e Deus com tanta miséria com tanta fome ...eu não acredito em Deus!

A pessoa saiu da barbearia e na esquina encontrou um mendigo todo barbudo, cabeludo. Pegou o mendigo e o levou lá na barbearia e chegou para o barbeiro e disse: Eu não acredito em barbeiros, porque se houvessem barbeiros não haveria gente barbuda e cabeluda andando pelas ruas.

O barbeiro disse: Ele está assim porque nunca me procurou, se tivesse me procurado ele não estava barbudo e cabeludo deste jeito.

É isto que temos que entender, as pessoas estão assim, porque não procuraram a Deus, não é Deus que abandonou as pessoas, as pessoas não vão procurar Deus. A igreja, em todas as épocas, sempre foi uma das construções mais imponentes da cidade, ninguém pode dizer que não sabe onde fica a igreja. Então, porque não vão à igreja? Não vão porque não querem! É isto que acontece.

Esta oposição que nós fazemos, caímos às vezes na tentação de fazer oposição, não temo que nos opor a nada, deixa a política, deixa o governo do mundo, pois o mundo e a política são assim mesmos! Quando você se opõe à força, você tem conflito. Os incomodados vão dizer: ‘tira aquele cara lá do caminho, ele está incomodando’. Se você não se opõe ao poder, não importa quem é o prefeito, o governante, quem é isso, aquilo.

Jesus nunca se opôs, Ele não representou perigo para ninguém. Temos que entender o significado correto do símbolo é que Ele se ofereceu para o crucificio. Isto é que está ali nestas palavras que foram transcritas que Ele disse: “Vocês acreditam que precisa sacrifício para ir para o céu? Para remissão dos vossos pecados? Vocês estão esperando alguém que salve vocês, que tire os pecados de vocês que impedem de irem para o céu? Porque Deus não quer mais saber de vocês? Pois o céu está aberto! Eu sou o cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo, eu me ofereço em sacrifício por vós!” Aí que Ele fez tudo o que Ele fez, em nenhum momento ele foi morto ou assassinado. Ele ofereceu o corpo em sacrifício, assim como Buda o ofereceu para alimentar os filhotes da leoa.

Participante: E o corpo de Jesus?

Jorge: Não encontraram mais. Todo o Universo faz as coisas com perfeição. Imagine se encontrassem o esqueleto de Jesus. As pessoas ficariam adorando o esqueleto.

Participante: Teve uma época que estavam vendendo pedacinhos de madeira, que diziam que era da cruz de Jesus.

Jorge: Tinha um escapulário que diziam que tinha um fio do manto de Jesus, o que já tinham vendido dava para fazer a lona de vários circos.

Participante: Então você quer dizer que não devemos nos opor a nada. Ver ‘o circo pegar fogo’ e não se opor.

Jorge: Não precisas ficar dentro do circo, só não se opõe.

Participante: Mas nós já estamos dentro do circo.

Jorge: Quando estiver pegando fogo, você sai. A gente não tem que se opor. Jesus não se opôs e Buda não se opôs, Gandhi se opôs, por mais que ele tenha sido pacífico ele se opôs, mataram Gandhi. Luther King se opôs. É isto que nós temos que apreender a não fazer, não tomar as dores dos outros para nós. São Francisco de Assis ensinou e nós esquecemos a todo momento, porque o ego quer brigar.

Participante: Mas se a gente nunca se opõe, ficamos acomodados, não é ? Hoje aconteceu uma coisa lá na faculdade que me deixou muito indignada.

Aconteceu o seguinte: ...tenho uma professora que viajou muito durante este semestre, ficaram muitas aulas e provas atrasadas. Depois que ela retornou foram marcadas as datas e horários das aulas e das provas a serem recuperadas. Hoje pela manhã estava marcado uma prova e ela não veio. Esta professora é inflexível, outro dia ela marcou uma prova para um dia e teve alunos que queriam fazer a prova noutro dia e ela não cedeu. Cobram da gente, mas quando se trata de eles cumprirem .... Hoje de manhã, além de não vir, ninguém nos avisou que ela não viria, ficamos a manhã inteira lá esperando de bobeira. Na nossa turma tem gente que mora longe.

Jorge: Isso prejudicou você de alguma maneira?

Participante: Não!

Jorge: Então é assim: O que estamos aprendendo aqui é não se opor. Por quê? Porque não serve para nada se a gente se opõe! Então, o que acontece? Quando a gente vai numa aula o professor é que tem a força, você é inocente. A inocência não pode se opor à força. Para você se dar bem no mundo, você não pode se opor à força. Constantemente no mundo acontece assim: As pessoas que tem jogos de interesses envolvem as outras pessoas para tomar as suas dores e brigar por elas. Quando você ficou indignada, você não ficou tanto por você, você foi insuflada pela massa.

Participante: Ah, eu fiquei indignada porque tive que levantar cedo e pelo tempo que fiquei lá esperando.

Jorge: Vamos ver o que podemos que aprender aqui.

Você ficou irritada, indignada, um pouco pelos outros, um pouco pelo grupo, um pouco por você mesma. De repente teve alguém que ficou lá ‘numa boa’, pensou ‘que bom que a professora não veio, assim vou meditar um pouco’. Esta pessoa agora está tranqüila, está em paz, não se incomodou , não precisa de terapeuta e nem de terapia, nem de calmante nem de remédios, na próxima quarta-feira esta pessoa vai estar em paz para fazer a prova. Quem se indignou não vai estar em paz.

Quem você acha que tirou o Color do poder? O povo? As forças interessadas em oposição a ele insuflaram o povo, para o povo fazer! Sempre é assim que acontece. Por exemplo, tem uma guerra lá no Iraque. Quem estava querendo a guerra? É o povo? Não! Quem está morrendo lá na guerra? É o povo! Insuflam o povo contra e a favor, é sempre o povo. Veja onde estão os interessados, estão lá longe, inacessíveis.

Então, não há como se opor à força! Você não vai ganhar! Ainda vais ser conhecida como aquela que é impertinente, que incomoda, que se altera, que se indigna, que se opõe. Na escola, quando eu vou lá para aprender matemática, tenho que aprender o que o professor está ensinando. Tenho que ir lá para aprender e tirar o máximo proveito do que a pessoa tem para ensinar, se eu me opuser à maneira que o professor está ensinando eu não vou aprender, nem isso eu vou conseguir. O Curso em Milagres diz, se você não está conseguindo compreender é porque está se opondo a isso que está sendo dito. Isto é uma realidade. É isto que ele diz aqui ‘ o cordeiro não pode estar em oposição à força’. Quem é a força na escola? É a professora, o professor! Então você não pode fazer oposição, então você não vai aprender e ele vai se opor a você

O que temos que aprender? Veja que a maioria das pessoas está tendo problemas cardíacos, gastrites, stress, depressão, derrame cerebral.. . Por quê? As pessoas estão se opondo muito a tudo!

Participante: Estou lembrando de duas situações em que, no meu entender, Jesus se opôs.

- quando estavam apedrejando Maria Madalena

- quando encontrou as pessoas no templo vendendo e comprando coisas

Jorge: Pelo que está escrito, Ele não se opôs. Ele não disse: ‘Parem com isto e vão para casa! Eu vou jogar pedra em vocês também!’ Mas Ele disse: ‘Vocês querem jogar pedras. Quem não tiver pecado que atire a primeira pedra!’ Isto é se opor ou fazer as pessoas pensarem?

Lá no templo Ele disse: ‘Aquele que não tem a mão ferida, pode segurar veneno’. Isto são palavras de grande sabedoria, refere- se aquele exemplo do templo. Porque Jesus não fez aquilo com raiva, com ódio ou com ira, Ele apenas determinou que, na casa que era dedicada à oração, não houvesse a ação dos ‘vendilhões do templo’ como os chamou. Hoje temos os vendilhões em todos os templos. Vendilhão do templo não é aquele que vende, por exemplo, cocada na barraquinha na porta do templo, isto também é simbólico. Por isto que Ele diz que nós entendemos os símbolos de maneira equivocada. Entendemos equivocadamente todos os símbolos, todas as palavras e eventos que Ele deixou. Vendilhão do templo é aquele que veio para desviar as pessoas do caminho da evolução. Ele vai lá no templo, mas não vai com a intenção de buscar a evolução ele vai com a intenção de tirar o outro do caminho. Então o que ele faz? Por exemplo, eu vou lá Ordem Rosa Cruz, me associo lá e lá pelas tantas eu chego para a Raquel e digo: ‘Isso aqui não está com nada, mas tem um lugar onde eu vou que é muito bom, vamos lá!

O símbolo tem que ser entendido corretamente. Jesus disse: Aqui não! Isso é energia. A força do espírito não se contamina pela raiva, pelo ódio. Por isso que diz: Quem está espiritualizado pode segurar o chicote, porque não vai se contaminar pelo símbolo do chicote, que representa o ódio, o domínio pela força. Ele apenas vai usar a força do espírito para dizer: Aqui não! Ele fez isso com tanta energia, com tanta força espiritual, que ninguém se opôs a Ele. Não houve violência. Porque violência gera violência como reação. Foi uma atitude de limpar a casa e não de agredir os outros. Você pode ir a qualquer lugar, agindo com violência, vai ter força contrária como reação. Lá não houve. Veja se tem algo escrito que alguém veio com uma faca ou um chicote para se defender ou para revidar. Não tem! Então não foi um ato de violência.

Participante: Hoje eu entendi melhor esta história de Jesus no templo, acho que a maioria das pessoas entende que foi uma atitude de violência por parte de Jesus.

Jorge: O que não podemos é deixar a ira subir. Mas também não podemos deixar a coisa acontecer. Por exemplo: Um dia aconteceu que furtaram uma bola de cristal, uma bola muito bonita e cara. Custava em torno de 300 reais. Uma pessoa conhecida minha me contou que viu um camelô vendendo uma bola de cristal na rua e ela disse para mim: Acho que é a tua bola de cristal, Jorge! Fui lá, junto com Raquel. Confirmamos, era a nossa bola. Então eu disse para o camelô: ‘Acho que você tem uma coisa que me pertence’ e a pessoa me conhecia, ele vinha muito na livraria. Ele respondeu:

-Como uma pessoa que se diz espiritualizada, vem aqui me intimar.

-é minha ou não é?

-eu comprei e paguei 10 reais

-você sabe o valor que tem esta bola, não sabe?

-você acha que uma coisa que vale 300 reais alguém vem aqui e vende por 10, é uma coisa lícita? Eu pago os 10 reais para você não ter prejuízo, mas vou levar o que me pertence. Ele achou que eu deveria ser bobo.

Outro dia uma pessoa entrou na livraria e queria comprar um livro esgotado que custava 18 reais por 10 reais. Ficou falando ‘há, que você é materialista...Como é que você pode ter uma loja esotérica e ser tão materialista?’ Eu disse: ‘Vamos fazer o seguinte: No final do mês você vai lá onde eu pago o aluguel e diz isto para o dono do aluguel, que eu não vou pagar o dinheiro que ele está me pedindo, só vou pagar a metade, porque eu sou esotérico’.

É a compreensão equivocada que as pessoas têm . Tem horas que a gente vai agir com energia. Nós não temos que compactuar com o erro. Nós estudamos isto aqui. Cada coisa no seu lugar. O espírito no centro; o intelecto na cabeça e o metal no bolso. Mas eu não posso negar a existência da matéria e nem do desenvolvimento intelectual . Agora se eu assumir o espírito, aí mesmo que eu vou compreender a importância que cada coisa tem.

Nos primeiros parágrafos do livro diz o espírito já é perfeito, não tem nada para ser aperfeiçoado, está ligado a Deus para sempre e é eterno, tem que trabalhar para voltar para Ele, como é que você vai fazer isso? Você vai ter que aprender a voltar para o seu próprio espírito. A mente é o aprendiz. Então você tem que desenvolver a mente. O físico é o instrumento de aprendizado.Se eu começar a negar a matéria eu estou negando o instrumento de aprendizado. Como é que eu vou aprender o valor que cada coisa tem . Tudo tem seu valor.

Participante: Há poucos dias eu estava num supermercado. Vi que tinha uma promoção de panetones, o monte era formado por panetones de uma só marca. Mas por cima haviam alguns de uma outra marca, que geralmente são bem mais caros, escolhi um destes. Estava escrito que o preço da promoção era R$ 7,90. Quando cheguei no caixa a moça registrou R$ 9,90. Para não me submeter aos contratempos que envolvem uma devolução, eu paguei, mas protestei.

O que temos que aprender? Temos que aprender a não nos opor! Tem os mecanismos que trabalham com isto, você sabe que tem. Eu também não faço, eu também sou rebelde. Mas é isto que nós temos que deixar de ser. Nós estamos nos desgastando, nos incomodando e não estamos resolvendo as coisas.

Então o que acontece? Paga, pega a notinha, passa ali no Procon e diz: Estive em tal lugar..., tinha uma placa anunciando preço de promoção de panetone por..., está aqui o recibo, o Procon faz a briga por você eles te devolvem o dinheiro e pronto.

Participante: Uma coisa aqui outra ali, chega no fim do dia a gente está mal..., às vezes estouramos.

Jorge: A raiva é cumulativa. Você pega um copo e pinga uma gotinha d’agua, olha para o fundo do copo e você nada vê. Vai colocando mais uma gota, mais outra..., chega uma hora que o copo encheu. Como você vê de gota em gota, parece para você que não é nada. Você vai transbordar com alguém que não tem culpa, normalmente é assim.

Então, a lição principal que temos que aprender, neste momento, é como fazer para não se opor. Por quê? Porque isto vai fazer mal para o dono do supermercado, para o gerente...? Não! Vai fazer mal para quem está se opondo! Este vai ficar doente, vai ter stress, derrame, gastrite, ulcera, tumor.

Participante: Pagamos impostos e não recebemos a contrapartida em serviços prestados.

Jorge: Mas não adianta você se opor, quem vai se desgastar é aquele que se opõe. É aí que está o aprendizado. Não é para compactuar ou se conformar, apenas não se opor. Ele não diz aí: Você tem que se conformar! Ele diz assim: Você não tem que se opor, apenas isso!

Contra a força não há resistência. Nós não aprendemos as leis da física. O rio não se opõe a nada e nada se opõe ao rio, ele só se mantém no curso, o que nós temos que fazer, já que estamos no curso, é nos manter no curso e saber que a nossa força está justamente na inocência, opor isso que diz ‘Os inocentes herdarão a terra’, porque eles têm muita força. Porque a força que a pessoa adquire é muito grande, quando ela não se opõe à força. Você pode ver que estas pessoas têm uma força incrível, elas comandam, orientam milhares de pessoas, mas no momento em que ela se opõe a uma outra força, acaba tudo. Veja como exemplo Gandhi, ele reformou a Índia, ele fez maravilhas, no momento que ele se opôs ...

Participante:Eu vi um filme sobre Gandhi, pelo que lembro ele não obedecia aos britânicos.

Jorge: Se digo que não vou obedecer, eu estou me opondo, não é mesmo? É uma forma de oposição. Ele não quis briga, mas formou forças de oposição. Eu não censuro, não concordo, nem discordo, só estou usando como exemplo.

‘Contra a força não há resistência’; ‘O rio não se opõe a nada e nada se opõe à força do rio’. O rio é uma das maiores forças que existem, você pode até represar o rio, mas não pode segurar o rio. Ninguém segura, a gente faz barragens, aproveita a força, a energia do rio, a luz que temos aqui é a força do rio, o ar condicionado funciona, impulsionado pela força do rio, que não se opõe a nada, apenas se mantém no seu curso . É isso que temos que começar a aprender, isso é que vai nos dar a força.

Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.
Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.
Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que
fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.
Eu estou contente em estar aonde quer que Ele deseje,

sabendo que Ele vai comigo.
Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele
me ensine a curar.

 

©  2004 - Milagres