UM CURSO EM MILAGRES
16 DE OUTUBRO DE 2002
4ª FEIRA

MEDITAÇÃO:

Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.

Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.
Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que
fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.
Eu estou contente em estar onde quer que Ele deseje,
sabendo que Ele vai comigo.
Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele
me ensine a curar.

PRINCÍPIO 6
Milagres são naturais. Quando não ocorrem, algo errado aconteceu.

Participante: Os milagres acontecem naturalmente, na percepção que tenho, se eu eliminar todos os meus conflitos e erros, eu me torno luz e assim os milagres acontecem, pois eu não vou mais perceber erros.

Participante: Se algo de errado acontecer, a responsabilidade é minha, se há coisas erradas acontecendo eu tenho uma parcela de culpa.

Jorge: Nós trabalhamos com a idéia do que é naturalidade dos milagres. Onde diz: “pedi e recebereis” isso deveria estar funcionando plenamente. A partir do momento que eu quisesse alguma coisa, iria ter alguém pronto para oferecer para mim aquilo que eu estava precisando naquele momento. Isso iria parecer tão natural, que poderia passar despercebido como milagre. Nós já trabalhamos, em algum momento, que esperamos que o milagre seja alguma coisa fantástica, visível, fenomenal a ponto de aparecer na televisão ser noticiado. Nós vemos que os milagres são naturais, na medida que nós compreendemos que eles são naturais. Por que, quando eu preciso de um táxi, não aparece nenhum e quando eu preciso de um pão, eu não encontro nem mesmo onde comprar? Alguma coisa está errada, porque todas as minhas necessidades podem ser supridas por outra pessoa que vai trazer aquilo que eu necessito. Nós já vimos que o milagre é oferecido de uma pessoa para outra, é assim que funciona. Quando você necessita de alguma coisa, alguém vai trazer para você aquilo que você necessita. Neste momento isto vai acontecer de uma maneira tão natural que você pode não considerar isto como milagre. Quando isto pára de acontecer e a pessoa chega num estado que diz “está tudo dando errado comigo”. Esta pessoa deve ter saído desta freqüência dos milagres, de alguma maneira que não percebeu o que está acontecendo de errado, porque todo milagre deve acontecer de uma maneira natural, que deveriam estar constantemente acontecendo conosco, sem ter necessidade de serem coisas fantásticas, porque assim é.

Participante: Se eu estou no meio do deserto, sem água e quero água na garrafa, mesmo que eu ande quilômetros, não tem alguém que possa suprir a minha vontade, então falta uma pessoa para executar o milagre.

Para o milagre acontecer tem que fechar as duas vontades, uma vontade tem que ser complementar à outra. Existe um milagre se alguém quer fazer milagre para esta pessoa?

Jorge: Mas você não culpa a outra pessoa pelo erro, não é que a outra pessoa é culpada por não estar onde você tem necessidade. Você é que não está no lugar certo.

Participante: A necessidade é que não foi adequada ao local.

Jorge: Eu gosto destes pontos radicais, porque nas extremidades se concentra mais energia, eu gosto de trabalhar num ponto extremo. Você criou uma situação do milagre ser extraordinário, mas é claro que ter água em garrafa seria extraordinário. Eu continuo achando que os milagres acontecem e se eu estiver conectado e perceber realmente, se quiser água na garrafa vai acontecer se estiver conectado e confiar.

Participante: Para eu estar conectado com esta energia eu tenho que trabalhar muito bem a lei da abundância e dar, por que se eu não me permitir a doar nada eu penso que também não vem para mim. Pensando que o universo é redondo, a partir do momento que eu vou dando, eu vou me sincronizando nesta lei maior e tudo vai vindo para mim por acréscimo, se alguma coisa estiver dando errado na minha vida, eu tenho que parar e ver onde é que eu não estou me doando.

Jorge: Alguém mais gostaria de comentar?

Jorge: Bem, é assim que deveria funcionar, deveria acontecer de um modo muito natural. Tu pedirás e receberá de modo tão natural, que nós não precisaríamos ir lá e fazer um alarde para acontecer um milagre. Por que o milagre é natural, se tu pedires tem que acontecer na hora. Às vezes você precisa e não acontece, porque nós nos recusamos a pedir. Então peçam mais, porque isso tem que ser natural. Uma coisa muito interessante que foi colocada, foi à questão do universo ser redondo, nós já falamos que tudo circula, que nós não podemos prender energia. Quando você dá alguma coisa e prende aquela energia, ela não circula e não volta para você. Vamos aprender esta outra parte que já antecipamos, lembrem-se daquele trabalho que fizemos, de dar e servir, liberar energia que todos estamos aqui para sermos úteis. Toda vez que você é útil para alguém, você está oferecendo para esta pessoa um milagre e toda vez que você precisar de um, alguém vai estar pronto, vai aparecer como por acaso para oferecer para você aquilo que você esta precisando. As pessoas devem entender bem o que é ser merecedor, porque às vezes a pessoa pede alguma coisa e não consegue. Esta pessoa diz “ah, eu não mereço” e fica se culpando por alguma coisa, colocando-se num nível mais baixo. Porque eu não mereço; Porque ninguém gosta de mim; Porque DEUS me abandonou; Porque não sou merecedor.

É assim, se você acha que não é merecedor, porque não está acontecendo, não se coloque no papel de vítima de não ser merecedor, mas avalie a questão: Por que não estou merecendo? Porque alguma coisa está errada, pois eu sou merecedor de tudo. O que está acontecendo? Voltando a questão do redondo, se eu não estou merecendo é porque eu não estou fazendo por merecer. Neste sentido, que fique bem claro, na medida que eu fizer tudo para liberar os canais que vão trazer aquilo que estou precisando e merecendo, eu estou me tornando merecedor. Então eu me torno merecedor na medida que eu faço emergir, circular, pois dou aquilo que eu sei fazer. Então se eu sou padeiro, eu vou dar o pão, eu não vou vender?

Não, você tem que dar o seu serviço, o seu serviço é fazer pão para as pessoas que precisam de pão. As pessoas que precisam de pão vão naturalmente procurar você ou você vai estar próximo quando a pessoa precisa e a pessoa vai pagar o pão. Se a pessoa é sapateiro e você precisa de sapato, você paga pelo sapato. Por isso inventaram o dinheiro, não necessariamente as coisas deveriam vir de graça para você, você paga na medida que você oferece. O que vale mais no deserto, alguém te dar uma garrafa de água ou você está no deserto e passa alguém vendendo e você tem dinheiro para pagar? O dinheiro neste processo é simbólico, ele simboliza uma parte do serviço uma retribuição pelo serviço, para que a pessoa possa investir mais no seu serviço e fazer mais para você. Parte do teu investimento é para que a pessoa prossiga com aquilo que está fazendo. Quem está tendo mais vantagem, a pessoa que está vendendo a água ou a que está com sede e compra? Quem está comprando, está recebendo muito mais do que o valor que eventualmente está pagando em moedas. Neste sentido a questão do dinheiro faz parte do processo, assim como aquilo que você faz também é parte do processo, foi instituído assim por que é um bom sistema. Dar o serviço, dar o milagre não significa necessariamente, que se você precisa de um dentista porque está com dor de dente, então você pede um milagre e a pessoa vai aparecer e atender você gratuitamente. Não, isto não foi milagre, por que ele cobrou pelo serviço. Se você ficar o final de semana inteiro com dor de dente e não aparece ninguém para tirar a tua dor? Eu prefiro pagar ao invés de ficar o final de semana inteiro com uma dor incomodando, pois nós estamos inseridos neste sistema.

Muitas vezes, não é tão importante dar gratuitamente, quanto oferecer o seu serviço, aquilo que você está fazendo, você está fazendo para outro que precisa daquilo. Como já foi colocado, milhares de pessoas, neste momento estão trabalhando para que quando eu precisar de alguma coisa isto esteja a minha disposição vai aparecer na prateleira de um supermercado. Às vezes, sim, é lá que eu vou buscar, por que eu sei que é lá que tem o que quero. Se a pessoa que produz a cenoura parar de produzir, eu vou querer cenoura e não vou ter, então, dar o serviço é fazer aquilo que você tem que fazer aqui. O que é que tem que fazer aqui? Ser verdadeiramente útil. Como é que eu sou ser verdadeiramente útil?

Disponibilizando para quem quer que seja, para os outros que queiram eventualmente aquilo que eu produzo, aquilo que gosto de fazer é o que vou fazer melhor, desta maneira eu vou ser mais útil. Eu tenho as minhas necessidades e o sistema que nós vivemos é um sistema monetário, quer dizer as trocas se fazem por moedas. Eu não vou querer me excluir deste sistema, é um bom sistema, a gente troca o que nós temos, porque nós damos uma quantia que o serviço do outro merece. Não é que eu tenha que dar e receber tudo de graça. Mas aquilo que posso dar gratuitamente eu dou. Têm coisas que quero dar e têm coisas pelas quais quero receber. Isto não invalida a questão de que o milagre pode acontecer, mesmo que eu tenha que dar uma moeda para ele, então, se aparecer alguém e me der pão na hora que eu estou com fome, isto é uma coisa que deveria acontecer naturalmente. O fato de ter que dar uma moeda pelo pão, isto não deixa de ser natural. A moeda não é antinatural é apenas um sistema, nós não devemos olhar para ela com exclusão é o sistema em que nós vivemos. Ela não precisa ser uma coisa, como foi dito “ah, o dinheiro tem uma energia muito ruim”, não, isto não é assim, nada tem energia boa ou ruim, tudo é energia, eu direciono a energia da maneira que eu processo isso na minha mente. Assim a faca tanto pode servir para fazer uma bela escultura, como para destruir uma bela escultura. Qualquer coisa serve para isso, uma moeda serve para fazer uma coisa legal ou não, não existe coisa boa ou ruim, nós com a nossa mente é que direcionamos o que vou fazer com essa moeda e com essa faca. Nós é que temos o poder de decidir o que fazer, porque tudo é energia a faca é uma energia, eu vou botar minha energia na faca para fazer uma coisa linda ou para destruir. Nada pode ser excluído tudo deve ser compreendido de uma maneira que reinterprete todas as coisas para o benefício.

O milagre acontece naturalmente e se não acontece algo está errado, todos nós somos merecedores, ninguém é mais ou menos merecedor, todos nós merecemos.

Livro texto
Página 9
2.
“Passará o céu e a terra” significa que não continuarão a existir como estados separados. Minha palavra, que é a ressurreição e a vida, não passará porque a vida é eterna. Tu és o trabalho de DEUS e o Seu trabalho é totalmente amável e totalmente amoroso. É assim que um homem tem que pensar a respeito de si mesmo no seu coração, pois é isso o que ele é.

Participante: Quando diz assim: Tu és o trabalho de DEUS e o Seu trabalho é totalmente amável e amoroso. Há sete anos atrás eu parei muito tempo para refletir sobre isto, pois eu tinha uma idéia equivocada e isto me atrapalhava bastante, depois eu parei e este poema me ajudou bastante.

Participante: Tu és o trabalho de DEUS, significa que nós somos o trabalho de Deus amável e amoroso, então nós devemos no dia-a-dia experimentar sermos amáveis e amorosos com o próximo.

Participante: Todo trabalho que fazemos, às vezes, não tão agradável, mas se nós fizéssemos com amor, carinho e dedicação, passa a ser prazeroso, se realizado com amor.

Jorge: Onde diz “passará o céu e a terra” explica que passarão como estado separado, porque eu ainda vejo o céu como outro lugar, onde eu não estou. Do espaço nós vemos a terra e que da terra nós nos vemos sem a paz, que temos estando fora dela, quando estamos no céu.

Então o que podemos perceber? Vai chegar o momento que para mim não haverá céu e terra separados. No momento que não tem mais terra, também não tem mais o céu, no momento que eu parar de ver o céu separado, eu também paro de ver a terra como uma coisa separada. Tem uma música do padre Marcelo, talvez ele estava num momento tão amoroso de tanta exaltação que naquela música diz: “eu não sei se a igreja subiu ou o céu desceu, eu só sei que está cheio de anjos aqui”, eu não estou entendendo se o céu desceu ou a terra subiu.

Nós podemos nos transformar, para estarmos vivendo num estado que não veremos mais separação entre céu e terra e nos colocarmos num estado em que nos veremos como resultado de um trabalho amável e amoroso. Então nós somos amáveis e amorosos, porque foi assim que nós fomos concebidos, como um ser amável e amoroso. Se eu sou assim, porque eu brigo com os outros? Eu devo ser amável e amoroso o tempo todo por que eu sou assim. Estes são os conflitos da terra, sempre que eu sentir estes conflitos, eu posso subir até o céu, até o momento em que estar no céu ou na terra é a mesma coisa.

Exercício da semana: Você vai treinar e lembrar sempre que você é um resultado de um trabalho de Deus e você é amável e amoroso.

Participante: Minha palavra, que é a ressurreição e a vida, não passará porque a vida é eterna. Refere-se a que exatamente?

Jorge: Bem. O que é a ressurreição?

Eu tinha uma idéia muito física, como um morto, dentro do caixão, levantar e sair andando, isso seria ressurreição. Mas ressurreição, é ressurgir, é sair das profundezas, então sair das profundezas é sair de onde eu estou atualmente, eu estou nas profundezas dos meus conflitos, estou envolvido e me aprofundo cada vez mais nos meus conflitos. Quando brigo com alguém faço questão de me aprofundar mais naquela briga e ir até o fundo.

Quando eu saio disto, o que é que estou fazendo?

Estou ressurgindo, estou emergindo dos conflitos e vou ressurgir num ponto mais elevado. O ponto mais elevado a que ele se refere é o céu, então a palavra dele é a ressurreição. Quando eu ouço a palavra Dele, eu subo e vou ressurgir num outro estado como se estivesse no céu, porque naquele momento não tenho mais conflito, então a palavra Dele é a ressurreição, pois te leva a este nível, de volta às origens. Você ressurge em um nível fora do conflito e ali está a eternidade, porque a eternidade é paz. Por exemplo, vamos imaginar um aspecto bem físico. Vamos imaginar que estamos no espaço, bom, a idéia que tenho aqui do chão firme do planeta em que estou é que as coisas não duram, as pessoas morrem, os carros ficam velhos, então não dura nada. Porém naquele momento em que você está no espaço, olhando a imensidão, você se imagina naquele silêncio naquela paz, você pode vislumbrar a idéia que é eterna, isto num nível físico, muito palpável da nossa imaginação. Agora imagine você estar de fato neste estado de céu. O que é estar neste estado de céu? O que é ouvir a palavra te dizer sai do conflito, Jorge, eu ouvir aquela voz e ir para cima e me encontro em plena paz e se eu ressurjo é porque eu já estive neste estado antes, então este estado é eterno eu mergulho e depois eu posso ressurgir, ressuscitar.

Participante: Jorge, eu não entendo por que eu tenho que descer e retornar à origem, eu não entendo o objetivo, o propósito?

Jorge: O propósito é o seguinte, se eu vou mergulhar no oceano, a minha intenção é mergulhar, mas se eu precisar de repente de um pouco de ar? Na verdade o que eu tenho de aprender de fato? Eu tenho de aprender a viver no oceano que é um estado muito mais denso do que a matéria em que estou. Eu tenho que aprender a sair e viver onde é o meu estado natural. Por que eu teimo querer morar num estado mais denso que é o oceano se o meu estado natural é aqui. Por que eu teimo em estar aqui, se meu estado natural é estar num nível menos denso, eu também não entendo por que é que eu teimo em estar aqui. A tua pergunta faz muito sentido, por que eu também não entendo.

Nestes dias veio uma pessoa aqui e disse, Jorge eu acho maravilhoso, eu estou fazendo meditação, eu fiquei vegetariano, eu voltei a ser cristão e antes eu tava envolvido com outras coisas e estou achando tudo muito bom. Agora eu estou preocupado com uma coisa. Eu vou ter que morrer para ir para o céu? Talvez seja melhor eu deixar um monte de pendengas para me manter preso aqui.

Participante: Olha só que coisa louca se eu já cumpri a minha missão eu vou embora.

Jorge: Não. Isto é uma idéia equivocada para gente deixar coisa pendurada, porque você imagina assim: O que é cumprir a missão? Cumprir a missão é deixar tudo zerado. Como que eu vou me sentir feliz? Se eu pagar a minha dívida no bar da esquina, eu vou ter que ir embora deste bairro? Não, eu vou poder viver muito mais feliz e livre neste bairro, eu vou poder passar na frente do bar e “Bom Dia, seu Manoel” com alegria e felicidade, enquanto eu estiver com dívida e vou ter que desviar. Isto é uma outra idéia equivocada uma crença que nós temos que desfazer neste nosso trabalho, de que quando a pessoa cumpre a sua missão tem que ir embora. Não, a pessoa que desempenhou a sua missão pode ficar mais tempo. Vamos ver um exemplo, o Papa que está velhinho. Há dez anos atrás queriam substituí-lo, já estavam se preparando para substituí-lo, pois já está velhinho, ele vai embora, mas ele ainda não foi embora. Então não quer dizer que a pessoa que cumpriu a sua missão tem que ir embora, isso é o meu ego que diz para deixar uma coisa pendente, “senão tu vais morrer”, isto não existe. Eu vou viver muito melhor, se não tiver pendência nenhuma, que tudo está certo, que eu estou cumprindo a minha missão. Quando você contrata um empregado para trabalhar e aquela pessoa desempenha muito bem a sua função, então vou ter que mandá-lo embora porque ele está fazendo tudo certinho, não, este você vai querer manter.

Isto é uma coisa equivocada, quantas pessoas que você vê que estão plenas de amor estão andando por aí, não precisa ir embora não, estas pessoas estão sendo necessárias aqui e um dia vão morrer, mas quando tiverem que ir, como todo mundo.

Tem uma situação assim: Lá na Índia, no Oriente, quando morre uma pessoa eles fazem uma festa, eles reúnem a família e fazem uma grande festa. Nós, aqui, quando morre alguém, reunimos a família e fizemos uma grande choradeira. Por que nós choraríamos quando uma pessoa morre, só se foi muito ruim mesmo.

Dizem que na Índia as pessoas se trabalham para quando sair da matéria, entrar num estado de graça de iluminação. A pessoa que trabalhou a vida inteira, quando ela morre é uma alegria, pois nós sabemos que a pessoa fez tudo o que devia fazer. Ter essa compreensão de que esta pessoa se trabalhou, então, que bom vamos festejar isto, que ela cumpriu etapas aqui e está indo. Bom, aqui, nós vemos a morte, porque nós estamos fora desta preocupação, em grande maioria, nós estamos tão preocupados com as coisas materiais que quando morre uma pessoa nós ficamos assustados. Por que é que isto nos assusta? Porque eu me vejo morrendo também e vejo tudo o que tinha que fazer e isto me assustam, por um momento eu paro e olho para aquele corpo, agora sem vida e o tempo que a pessoa ficou aqui. O que é que ela fez para ser útil? Às vezes nós nos trabalhamos neste sentido, aí nós ficamos assustados com medo da morte, choramos, ficamos tristes, porque a pessoa foi e não se trabalhou para chegar a um estado bom.

Participante: Penso que nós temos que nos dar conta neste momento, arregaçar as mangas e ir a luta.

Jorge: Essa é uma boa possibilidade para nós trabalharmos. Porque nós vamos nos dar conta que dentro do tempo, o tempo acaba e nós estamos dentro do tempo, então vamos fazer o que deve ser feito antes que seja eu mesmo, antes que meu tempo acabe e eu não faça o que deveria ter sido feito. Nós ainda trabalhamos muito na matéria nas perdas materiais, nós vemos as perdas materiais e das possibilidades materiais, que a pessoa deixou de usufruir e morreu. Isto que nos faz espernear quando morre uma pessoa jovem. Este apego a uma existência é um estado, ele é muito fácil de perceber, não só como o estado de estarmos no corpo, como em qualquer situação. Então tem épocas que nós temos várias pessoas ajudando na livraria e de repente são pessoas que às vezes não estão fazendo a coisa com amor, não estão dedicados aquilo que fazem. Às vezes a pessoa está aqui, só em busca do dinheiro e não quer saber de ser útil. É muito interessante, porque nós já observamos assim: Existe momento em que tem duas pessoas nos ajudando, existe momento em que tem quatro ou cinco dependendo da quantidade de trabalho. Tem momento que tem quatro ou cinco e tem momento que nós dispensamos alguma pessoa, ou porque aquela função era temporária e a pessoa vem para fazer um trabalho temporário ou porque não tava fazendo direito a coisa, não estava cumprindo aquilo que se propôs a fazer. Imediatamente após a demissão os demais se colocam a trabalhar. Tem momentos que se têm três ou quatro pessoas trabalhando em uma empresa e uma destas é mandada embora, os outros logo começam a trabalhar e fazer o que não faziam antes e daqui mais um tempo eles começam a parar de novo, mandam mais um embora e os outros se atinam de novo “ôpa” e começam a ser úteis de novo. Então talvez a morte do corpo físico, deveria fazer com que isto acontecesse conosco, mas nós estamos mais ligados nas coisas materiais ao invés do espírito, pois parece que a nossa crença é mais forte na matéria. É capaz de nós sairmos de um enterro e fazer uma grande festa para aproveitar a vida antes que ela se acabe, não nos damos conta da nossa real função.

Livro texto
Página 9
3. Os perdoados são o meio da Expiação. Sendo plenos de espírito, eles perdoam em retribuição. Aqueles que são liberados têm que se unir na liberação dos seus irmãos, pois esse é o plano da Expiação. Milagres são o caminho através do qual as mentes que servem ao Espírito Santo se unem a mim para salvação ou liberação de todas as criações de Deus.

Jorge: O perdão é tudo o que mais nós queremos é tudo o que mais nós buscamos. O que é o perdão? O perdão é ficarmos sem dívida nenhuma. Quando nós fazemos a oração do Pai Nosso, onde diz: “perdoai assim como nós perdoamos”, trabalha justamente este processo do perdão. O que é perdoar e ser perdoado? É unir a nossa mente eliminando tudo aquilo que divide a nossa mente, todas as dívidas, tudo que estamos devendo. Por exemplo: Aquela dívida que eu não posso pagar provavelmente o meu credor já sabe que eu não vou conseguir pagar, provavelmente já considera isto uma perda. Portanto só resta-me ir até ele e pedir para me dar esta perda. “Você já perdeu então, me dá isto!” Ao invés de me cobrar, você me dando esta perda, os dois ficam liberados. Então é o trabalho de aprender pedir o perdão para se liberar da dívida e liberar o outro, por que o outro também está preso a isto e o trabalho de você dar aquilo que já está perdido, é o perdão. Não faz sentido você reter aquela perda se já está perdida e não tem como recuperar. Assim é com a moeda e assim é com a emoção, aquilo que já foi passado, que pertence ao passado, dê isto e não fique preso, não pegue de volta o passado, pois já não é mais teu, unifique-se, reintegre-se, é isso que é uma pessoa integra, pessoa que se reintegra aquela que foi perdoada e aprendeu a perdoar. O que é uma pessoa integra? Ora, é uma pessoa que não está devendo nada para ninguém e não tem nada para receber. Por que quando eu tenho alguma coisa para receber do João, João tem alguma coisa minha que esta com ele. Então se João tem alguma coisa minha que está com ele, eu não estou inteiro eu não estou integro, então aquilo que você tem que é meu, venha e me devolva e aquilo que eu tenho e que não me pertence vou lá e devolvo para o outro. Isto é entender o perdão em todos os níveis, físico, emocional e mental. Aquilo que eu falei mal do outro eu prendi a energia do outro eu vou lá e peço para ele, “olha, me perdoa por isto, eu falei mal de você, me perdoe”. Parece difícil, mas não é, a nossa barreira interna é que diz que é difícil. A pessoa que aprendeu a fazer este exercício, que nós chamamos de Expiação, verá tudo que ela pode se integrar ao plano de Expiação e fazer as outras pessoas entenderem como este é o caminho para estar integro e livre. Reintegração, estar uno, estar inteiro, sem nenhuma dívida, este é o perdoado aquele que começou a trabalhar o plano de Expiação de zerar as coisas. Vamos nos integrar e não deixem que aconteçam mais divisões, quando vocês se derem conta de que alguma coisa vai ficar em dívida, evitem.

Outro dia eu saí para tomar um cafezinho e faltaram 10 centavos, comecei a procurar de todo jeito o dinheiro, pois queria pagar, eu não quero ficar em dívida. A pessoa falou: “mas por dez centavos!”, não importa, não existe grande ou pequeno, existe a dívida, existe estar dividido. Então nada de ficar dividido, endividado, todas as causas da nossa ansiedade são dividas, divisões de estarmos divididos, então procurem tomar decisões. As pessoas que mais tem sucesso financeiro são aqueles que tomam decisões rápidas. Deveria ser feito assim, porque você ficou dividido.

O sistema do mundo nos leva a acreditar que fazer prestações é o correto, se você pode pagar uma prestação hoje, por que você não vai assumir? Só que eu estou sem paz. Tenho uma prestação, o próprio aluguel me tira a paz eu viveria muito mais em paz se não tivesse a preocupação de pagar o aluguel.

Participante: Mas eu não teria onde morar!

Jorge: Veja por este ângulo: Você teria mais paz se tivesse que pagar a prestação ou aluguel, ou se não tivesse que pagar.

Participante: Eu vejo que a felicidade é uma coisa relativa, por que eu posso estar morando numa casa de madeira e querer uma casa de material. Então eu vejo que posso pagar prestações e ter a casa de material e fico feliz.

Jorge: Se nos projetarmos a felicidade em alguma coisa material, na verdade isto que nós estamos tendo é uma palavra parecida, mas não é a mesma coisa, em vez de termos uma felicidade, nós teremos uma falsa felicidade, ninguém é feliz por uma coisa material. Então nós projetamos uma felicidade em uma coisa externa. Eu vou ser feliz quando tiver isto, ou quando tiver aquilo.

MEDITAÇÃO
Eu estou aqui só para ser verdadeiramente útil.

Eu estou aqui para representar Aquele Que me enviou.
Eu não tenho que me preocupar com o que dizer ou o que
fazer, porque Aquele Que me enviou me dirigirá.
Eu estou contente em estar onde quer que Ele deseje,
sabendo que Ele vai comigo.
Eu serei curado na medida em que eu permitir que Ele
me ensine a curar.

 

 

©  2004 - Milagres