Reunião do dia 05/10/07 – 3ª reunião grupo Fortaleza.

O encontro deu-se a Rua Monsenhor Bruno, 2540, Apto 502, Joaquim Távora, as 18h15minhs.

A este encontro cheguei atrasada, cerca de 15 a 20 min. Recebemos uma nova “estudante”: a Márcia. Não puderam comparecer a reunião: Iracilza, Giovanna e a Rose. Sentimos falta de todas. Márcia já tem o livro há alguns anos e também tinha interesse de participar de grupo de estudos e foi bem interessante o meio como ela veio ao nosso grupo.

Quando cheguei os três, Elza, Márcia e Herlon, já estavam fazendo a meditação. Então entrei e participei da oração, antes de iniciarmos a leitura.

A seguir iniciamos a leitura do livro, Capítulo 1 O SIGNIFICADO DOS MILAGRES, tópico 1- princípio dos milagres.

Foi feita uma leitura corrida, página a pagina, e entre a leitura de cada pagina foi feita uma pequena colocação de entendimentos.

Na primeira página, discutimos a questão do tópico: 7. Milagres são um direito de todos; antes, porém, a purificação é necessária.

O que cada um entendia por ‘ a purificação é necessaria.”

Eu, Rita, coloquei que a purificação significa algo ligado a correção da mente. E que creio que nada tem haver com purga ou pagar por pecado cometidos. Enfim não acho que é sofrer, mas limpar a mente, colocar-se em estado de fé... na verdade não soube explicar... é como se purificar fosse um lapso de reversão da mente que possibilita o milagre.

O Herlon colocou que na verdade seria uma mão de via dupla. Onde a reversão torna possivel o milagres, e o milagre torna possivel a reversão da mente.

A Elza colocou que a mundação de percepção leva a revelação, e que talvez ela não acha que isso seria a “purificação”.

A Márcia também discorreu sobre o assunto, e concordou que seria sim, um lapso de tempo onde a percepção é alterada e aceitamos o “Milagre”, mas que não seria a reversão completa, pois caso isso ocorra, o perdão e os milagres seriam desnecessario e já estariamos no céu devolta com o Pai.

Seguimos com a leitura.

Depois da leitura da segunda pagina, a Elza formulou a seguinte pergunta: O que você, nós, entende por milagres. O que é milagre pra você (nós)?

Para Herlon o milagre pode ser muitas coisas. Que o fato de estarmos reunidos ali, estudando juntos, por exemplo, já seria um milagres.

Elza lembrou que milagres são atos de amor.

Márcia citou a passagem de um livro que ela leu, onde uma filha muda sua percepção em relação à mãe, com quem tem o relacionamento difícil. A filha lê uma passagem no livro que diz: o que Deus pensaria que você não pensaria, e o que você pensa que Deus nunca pensaria... Depois de topar por essa passagem varias vezes, então a filha percebe que Deus jamais pensaria da mãe dela o ela mesmo pensava, e que ela não pensa sobre a mãe dela o que Deus pensaria, e então ela passa a ver as coisas de uma nova forma, e sua mãe quase que numa correspondência ou ressonância passa a mudar também. Isso, para a Márcia, é um milagre.

Para mim, Rita, milagre passou a ser muito amplos e vejo-os a todo tempo. Em casa com minhas filhas, no relacionamento com meu marido, com meus pais, no trabalho. A propósito do trabalho, lembrei-me, que quando comecei aqui neste emprego eu tinha vontade de sair correndo, e só não o fiz, porque tinha tantas contas pra pagar e estava meio encurralada. O chefe era grosso e ríspido e estava sempre com um pesar sobre ele. O clima não era bom. Depois de algum tempo, comecei a pensar que afinal não havia motivo nenhum para me chatear com o chefe. Ele tinha um serie de problemas, coisa pra resolver, dores de cabeça sem fim, e que eu não queria trabalhar no lugar dele, e de certa forma comecei a admirar a força interior que move ele... E então o modo dele me tratar mudou. Passou a falar com mais calma, a pedir, por favor, e com licença... Isso é um milagre, não é?

O Herlon complementou nossos comentários falando sobre como o consciente e o subconsciente parece estar ligado e como um tem resposta noutro.

O que pra mim só reforça que todas as mentes estão interligadas.

Elza também relatou o fato de em uma discussão familiar, com uma das filhas ela conseguiu perdoar a filha no mesmo instante, pelo fato de saber que aquela agressão não era contra ela, mas que naquele momento sua filha estava atravessando uma situação complicada. E o seu amor a fez vê isso... E naquele momento ela sobe que deveria estende isso a todos os irmãos filhos ou não... Mas como isso parece complicado... Risos... E voltou a comentar sobre o Renan Calheiros... risos

Voltamos à leitura.

Houve um comentário a cerca de como o livro é escrito. Neste momento ele diz: Expiar é desfazer. E mas à frente no livro ele continuará a falar sobre a expiação.

Os milagres devem gerar gratidão e não reverência. Que Cristo é um irmão mais velho, que nos guia de volta ao Pai com a ajuda do Espírito Santo. E que podemos ser devotados a Ele, pois Ele é devotado a nós.

A Elza falou sobre a oração como veículo de milagres, e do Espírito Santo como um “catalisador”, um facilitador.

Ainda iniciamos a leitura do tópico 2 Revelação, tempo e milagres

Houve uma breve questão sobre a dor física. Sobre o ataque. E sobre o perdão.

Comentamos passagens bíblicas, como a passagem do soldado romano, que em sua fé diz a Jesus, que o mesmo não precisa ir a sua casa para curar o seu servo, que Ele só precisava dizer uma palavra e seu servo seria curado. E assim foi.

Outra questão foi sobre o filme “paixão de Cristo”, sobre a dor física sentida por Jesus, E sobre a ênfase que a(s) igreja(s) dá a dor e ao sofrimento, como sendo dor e sofrimento necessários a nossa salvação. Quando a nós é dito que não. Não é necessário dor e sofrimentos e que fomos feito para abundancia e felicidade.

Porquanto a única conclusão que chegamos é que a real mensagem de Jesus, foi a mensagem do amor, pois mesmo diante da atitude de seus algozes, Jesus os perdoa por reconhecer que eles, nos, não tínhamos consciência, ou como disse a Márcia, éramos como crianças destruindo uma boneca, totalmente inconscientes. E não seria possível sermos condenados.

A mensagem da ressurreição também é muito importante e o envio do Espírito Santo como um “abre” caminhos que Jesus, o Cristo, deixou para nós juntamente consigo para nos guiar no caminho de volta ao Pai.

Não fechamos a leitura do tópico 2, faltando ler o ultimo parágrafo.

Bem, perdão caso tenha esquecido algo.

Ficamos de nos comunicar por e-mail para marcar a reunião do dia 11 ou 13, a ser acertada. Elza nos pediu para não falhar em nos encontrarmos e em ultima estância combinar de ler uma passagens num mesmo horário, para manter os “elos”.

Assim ficamos aguardando novos contatos dos membros.

Que a paz de Deus esteja conosco.
Rita K. Moreno

 

©  2004 - Milagres